Unipar anuncia modernização tecnológica com investimento de mais de R$ 1 bilhão em sua fábrica de Cubatão

A companhia terá a maior operação da América do Sul com a tecnologia de membrana, a mais
moderna, sustentável e eficiente do mercado para a produção de cloro e soda

A Unipar, líder na produção de cloro e soda e segunda maior produtora de PVC na América do
Sul, vai realizar uma modernização tecnológica em sua planta de Cubatão, em uma iniciativa
cujos investimentos ultrapassam R$ 1 bilhão. A implementação do projeto tem início imediato e
previsão de conclusão no final de 2025, com a substituição das tecnologias de mercúrio e
diafragma por membrana para a produção de cloro e soda. Este projeto integra a estratégia de
sustentabilidade da Companhia e reforça seus compromissos assumidos publicamente com
metas de curto, médio e longo prazos no âmbito social, ambiental e de governança.

A unificação de tecnologias garantirá capacidade de produção de 210 mil toneladas de cloro por
ano, representando 60% da capacidade atual da unidade. Com ela, a Unipar reduzirá em 70 mil
toneladas sua emissão de CO2 por ano, além de gerar menos resíduos sólidos, consumir menos
energia (vapor e elétrica) e simplificar as operações no local. “A Unipar terá a maior operação de
membrana na América do Sul, com ganhos de eficiência operacional, competividade e
sustentabilidade. Estamos investindo no que há de melhor no mundo e teremos retorno com
redução de custos fixos e variáveis, uma operação mais ágil e ainda vamos produzir uma soda
com qualidade superior”, explica Rodrigo Cannaval, diretor executivo industrial da Unipar. “Nossa
fábrica de Cubatão será ainda mais segura, confiável e competitiva”, complementa.

O projeto prevê a instalação de 32 quilômetros de estacas e empregará aproximadamente duas
mil toneladas de estruturas metálicas e 4.500 metros cúbicos de concreto estrutural. “Como
atuamos em mercados globais, precisamos estar sempre evoluindo em tecnologia para termos
nossas operações cada vez mais eficientes e sustentáveis a fim de manter nossa competividade
no mercado. Esse investimento reforça essa nossa prioridade estratégica de crescer com
sustentabilidade e está alinhada ao nosso propósito de sermos confiáveis em todas as nossas
relações”, conclui Cannaval.

Em breve teremos novidades

13

Evaporação

A Soda Cáustica é produzida na eletrólise e concentrada pelo processo de evaporação.

6

Sala de Células

Na sala de células ocorre a ELETRÓLISE. E assim, a energia elétrica age sobre a salmoura e a transforma em SODA CÁUSTICA, CLORO E HIDROGÊNIO.

Etapas

(3) Tratamento

(4) Filtração

(5) Controle

(3) A SALMOURA é tratada para eliminar impurezas, filtrada (4) e passa sob um rigoroso controle (5) para alimentar as CÉLULAS ELETROLÍTICAS.

2

Salmoura

Prepara-se então a SALMOURA que é obtida por dissolução do sal em água para ser usada depois na ELETRÓLISE.

);