Unipar conclui emissão de R$ 750 milhões em debêntures, a maior de sua história

Recursos serão utilizados para os negócios de gestão ordinária da companhia e
contribuem para o alongamento e a melhoria dos termos e condições de sua dívida
A Unipar informa que concluiu sua 8ª emissão de debentures simples no valor de R$ 750
milhões, a maior de sua história. Os recursos captados serão integralmente utilizados para os
negócios de gestão ordinária da companhia. A operação foi realizada com a participação do
Banco Itaú BBA, coordenador líder, Banco Bradesco BBI, Banco Santander e XP Investimentos
Corretora, coordenadores, com distribuição pública da Pentágono, instituições que tiveram
papel importante para o sucesso da emissão.
A Unipar destaca que a captação é um passo importante para otimizar e flexibilizar sua
estrutura de capital. “Essa operação marca o fortalecimento da confiança e o estreitamento de
nossas relações com o mercado financeiro. Com a emissão, consolidamos nossa estratégia de
alongamento da dívida e de melhoria de seus termos e condições, além de abrirmos caminho
para a diversificação de nossas fontes de financiamento”, afirma Marco Rabello, diretor
financeiro e de relações com investidores (CFO) da Unipar.
A taxa de remuneração das debêntures será de CDI + 2,05% a.a. O prazo de vencimento é de
sete anos, com amortizações no 6º e 7º ano e juros semestrais. Esta é a primeira emissão da
companhia na qual caberá, a seu exclusivo critério, o resgate dos papéis após o 3º ano
(outubro/26), mediante um pagamento de 0,40% a.a. até o seu vencimento (prêmio usual de
mercado), além da melhoria nos limitadores de alavancagem.
De acordo com o último relatório disponível, de 05 de outubro de 2023, a Unipar/emissão
recebeu a classificação AA+ da Fitch Ratings Brasil. A mesma agência de classificação de riscos
foi contratada para avaliar as debêntures. Já em setembro desse ano, a XP iniciou a cobertura
do setor petroquímico e da Unipar com recomendação de compra para os papéis da
companhia. Apesar do ciclo de baixa da indústria química, a instituição entendeu que a Unipar
apresenta resultados mais resilientes, uma melhor conversão de free cashflow, desenvolve
projetos de autogeração de energia renovável, realiza expansões importantes e tem um
balanço mais robusto com relação a outros players do setor. Nos últimos meses, a Unipar
passou de 30 mil para mais de 100 mil investidores.

Em breve teremos novidades

13

Evaporação

A Soda Cáustica é produzida na eletrólise e concentrada pelo processo de evaporação.

6

Sala de Células

Na sala de células ocorre a ELETRÓLISE. E assim, a energia elétrica age sobre a salmoura e a transforma em SODA CÁUSTICA, CLORO E HIDROGÊNIO.

Etapas

(3) Tratamento

(4) Filtração

(5) Controle

(3) A SALMOURA é tratada para eliminar impurezas, filtrada (4) e passa sob um rigoroso controle (5) para alimentar as CÉLULAS ELETROLÍTICAS.

2

Salmoura

Prepara-se então a SALMOURA que é obtida por dissolução do sal em água para ser usada depois na ELETRÓLISE.

);