Unipar tem avaliação elevada no combate às mudanças climáticas

Classificação dada pelo CDP valoriza a jornada de sustentabilidade da companhia nos compromissos relacionados ao tema

São Paulo, 05 de março de 2024 – A Unipar – líder na produção de cloro e soda e segunda maior produtora de PVC na América do Sul – teve sua nota elevada de C para B no tema Mudanças Climáticas no ciclo 2023 do CDP Insight Action. No âmbito dos Recursos Hídricos, a companhia manteve o conceito C. O CDP é uma organização sem fins lucrativos, referência global na divulgação e acompanhamento de informações sobre mudanças climáticas, gestão hídrica e florestas.

“É com satisfação que recebemos as notas do CDP, que são mais uma demonstração de que estamos no caminho certo e trabalhando de forma concreta nos compromissos anunciados em 2022. A jornada de sustentabilidade é longa e o diferencial da Unipar está em priorizar a agenda do desenvolvimento sustentável, que inspira a cultura da companhia e promove o engajamento interno”, declarou Rodrigo Cannaval, diretor industrial que assume como CEO em abril.

Entre os principais compromissos assumidos pela Unipar, vale destacar que o objetivo da companhia é reduzir suas emissões de CO2 em 10% até 2025 e em 30% até 2030, para atingir o net zero até 2050. Em gestão hídrica, a meta é reduzir em 15% a intensidade do uso de água, com 15% de reuso, até 2030. Todos os compromissos estão conectados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. Numa visão geral, definimos 30 projetos que contarão com investimentos de R$ 1,4 bilhão até 2030 para entregar todos nossos compromissos. 

Um dos principais movimentos que fizemos para alcançar nossas metas são os investimentos em projetos de autoprodução de energia solar e eólica. Com a AES Brasil, a Unipar mantém uma joint-venture para a produção de energia eólica nos parques de Tucano (BA) e Cajuína (RN) além de um parque solar com a Atlas Renewable Energy, localizado no estado de Minas Gerais. Juntos, os três empreendimentos terão capacidade instalada de 485 MW de energia elétrica, dos quais 149 mw médios serão para consumo nas plantas da Unipar. Até 2025, 100% de toda a energia que abastecerá as fábricas da companhia no Brasil serão de origem renovável, sendo 80% de autoprodução e 20% em contratos de longo prazo.

Além deles, os projetos de inovação tecnológica, como a expansão da fábrica de Santo André (SP), que incluiu novos equipamentos que geram redução de 18% no uso de energia, reduzem o uso de gás natural, evitam a emissão de cerca de 2 mil toneladas de CO2 por ano e diminuem em 60% o consumo de água de resfriamento, na comparação com as tecnologias convencionais. Já na unidade de Cubatão (SP), a substituição das tecnologias de mercúrio e diafragma por membrana, para a produção de cloro e soda, vai reduzir as emissões da companhia em 70 mil toneladas de CO2 por ano, além de gerar ganhos em eficiência operacional, competitividade e sustentabilidade. Esse projeto também estará concluído ao final de 2025. 

“Nossa estratégia é crescer com sustentabilidade, foco nos nossos clientes e grande impacto na sociedade e no meio ambiente. Sempre com a premissa de sermos confiáveis em todas as nossas relações”, conclui Cannaval.

O ranking 

O CDP Disclosure Insight Action (CDP) é uma organização sem fins lucrativos, referência global na divulgação de informações sobre sustentabilidade, e detém o maior banco de dados ambientais do mundo, com avaliações que contribuem para a condução de decisões de investimento em direção a uma economia carbono zero, sustentável e resiliente. 

Em 2023, o questionário recebeu a participação recorde de 23 mil empresas respondentes. Mais de 740 instituições financeiras com mais de US$ 136 trilhões em ativos demandaram que as organizações divulgassem dados sobre impactos ambientais, riscos e oportunidades por meio da plataforma do CDP, que utiliza uma metodologia detalhada e independente para avaliar as empresas, pontuando-as de A até D. Dentre os critérios considerados pela análise estão a abrangência da divulgação, a conscientização e gestão de riscos ambientais e a demonstração de melhores práticas, como a definição de metas ambiciosas e significativas.

Em breve teremos novidades

13

Evaporação

A Soda Cáustica é produzida na eletrólise e concentrada pelo processo de evaporação.

6

Sala de Células

Na sala de células ocorre a ELETRÓLISE. E assim, a energia elétrica age sobre a salmoura e a transforma em SODA CÁUSTICA, CLORO E HIDROGÊNIO.

Etapas

(3) Tratamento

(4) Filtração

(5) Controle

(3) A SALMOURA é tratada para eliminar impurezas, filtrada (4) e passa sob um rigoroso controle (5) para alimentar as CÉLULAS ELETROLÍTICAS.

2

Salmoura

Prepara-se então a SALMOURA que é obtida por dissolução do sal em água para ser usada depois na ELETRÓLISE.

);